Carro consumindo muito? Descubra 10 motivos

Carro consumindo muito? Leia até o final do artigo para entender os principais vilões do consumo.

Ser dono de um carro que consome muito não é agradável para ninguém. Além do problema dos preços altos do combustível, quanto maior o consumo, menor é a autonomia do tanque.

Com isso, ter um carro funcionando em sua plenitude mecânica é algo que todos desejam.

Segue os 10 motivos mais comuns:

Sistema de Ignição.

Velas, cabo de velas e bobinas devem ser checados a cada 10 mil Km. Estes dispositivos são responsáveis por  gerar centelha que auxilia no processo de combustão do veículo. 

Segundo a empresa Magneti Marelli, velas em mau funcionamento acarretam desgaste de todo o conjunto de ignição.

Por isso, o mau funcionamento de um desses itens pode acarretar no aumento de consumo de combustível.

Filtro de Ar

Créditos: Freepik

Filtro de ar é o responsável por filtrar as impurezas do ambiente externo. Desse modo, é ele que impede que a sujeira entre em contato com a câmara de combustão gerando aquecimento, perda de potência e aumento de consumo.

Além disso, a recomendação de troca do filtro de ar é a cada 10 mil Km.

Por fim, não é recomendável lavar ou limpar o filtro, este pode romper fibras e não cumprir o seu propósito. Logo, a indicação é trocar por uma peça nova.

Óleo vencido ou errado

Lubrificantes fora das especificações também podem fazer o carro beber mais. O óleo é responsável por lubrificar adequadamente todas as partes mecânicas e manter o motor funcionando na temperatura certa. 

Portanto, use sempre o produto dentro das especificações recomendadas pelo fabricante, desde a origem até a viscosidade. 

Além disso, observe os prazos de troca indicados pelo fabricante. Geralmente, eles acontecem a cada 10.000 km – se seu carro tiver mais de 10 anos, reduza em 25% o intervalo recomendado pela marca. O óleo também formará borra no motor se ficar por muito tempo no veículo, o que não apenas aumentará o consumo de combustível, mas também causará danos muito maiores.

Filtro vencido

A troca do filtro está condicionada à troca do lubrificante. Ou seja, a cada troca de óleo, você deve trocar o filtro.

Como o filtro armazena sujeiras e resíduos, o óleo é contaminado pelo filtro sujo. Com isso, a contaminação vai prejudicar o funcionamento do motor gerando maior consumo.

Pneus descalibrados

Créditos: Freepik

Pneu descalibrado faz com que o carro enfrente mais resistência ao movimentar carcaça do veículo.

Com isso, esse maior esforço e resistência que o motor precisa fazer afetará a bomba de combustível. 

Segundo os engenheiros, pneus sem pressão podem fazer com que os veículos bebam de 5 a 6 por cento a mais.

Além disso, calibre os pneus com a pressão recomendada pelo fabricante uma vez por semana – as informações estão no manual, nas dobradiças das portas, na tampa do tanque de combustível ou na porta do porta-luvas. Aplique pressão após o carro ter esfriado ou estacionado por pelo menos 5 minutos. 

Pneus “verdes” são outra boa opção de economia de dinheiro. Segundo especialistas, eles são feitos de um composto de sílica, que é mais leve que a borracha sintética, tem menos atrito com o asfalto e economiza até 40% no consumo médio.

Por conseguinte, mudanças no tamanho das rodas e nas especificações dos pneus interferem no consumo.

Excesso de peso

Um carro cheio de coisas e pessoas também vai aumentar o consumo. 

Conforme indicado no manual, o carro foi concebido para funcionar com um determinado peso e suportar uma capacidade de carga específica.

Com isso, qualquer coisa acima dessa carga coloca mais pressão no motor, resultando em mais gasolina, etanol ou diesel. 

Portanto, respeite a carga útil e lembre-se de que inclui o peso dos ocupantes e da bagagem. Quanto mais leve o veículo, mais eficiente ele é. Ou seja, não é mais necessário carregar peso extra com itens indesejados na mala todos os dias.

Pé pesado

Créditos: Freepik

Claro que a forma como conduz tem um impacto direto no consumo de combustível. Estudos mostraram que os padrões de direção mais agressivos de um motorista podem fazer o veículo beber até 30% mais.

Alguns exemplos. Sabe aquele cara que pisou no pedal certo como se estivesse na largada da F1? Bem, acelerar demais vai abrir demais o corpo do acelerador. Isso significa mais ar e mais combustível na câmara de combustão. Portanto, priorize a aceleração gradual e tente não usar mais de 1/3 do curso do pedal.

Outros truques são aproveitar a “calma” do carro, com um pé bem leve nos pedais para manter o movimento ao mínimo. E trabalhe dentro da faixa de rotação o máximo possível – em 80% dos veículos com motor de combustão, é recomendado entre 2.000 e 2.500 rpm. Mesmo em modelos com transmissão manual, é melhor trocar as marchas nesta faixa de rotação – ou prestar atenção no indicador de marcha.

Fonte: AutoPapo

Compartilhe este post:

Este blog utiliza cookies para garantir uma melhor experiência. Se você continuar assumiremos que você está satisfeito com ele.